Ah, Moleque!


É cada vez mais comum nas empresas a presença de jovens gestores liderando profissionais mais velhos. Veja como lidar com esse choque de gerações.

Revista Você S.A. - por Bruno Athayde

Entre todos os tipos de atrito que costumam ocorrer entre chefe e subordinado, o mais emblemático do atual momento de merca­do é aquele em que o subordinado é mais velho ou mais experiente que seu líder. Essa situação tem se tornado bem mais frequente nas empresas. Com a escassez de mão de obra qua­lificada, muitas companhias optam por promover a cargos de gestão profissionais com pouca expe­riência, a fim de retê-los na organização. A prática funciona assim: um coordenador recebe uma pro­posta de emprego e avisa o chefe. Como falta gen­te no mercado, a empresa sabe que repor esse pro­fissional levará tempo. Para não perdê-lo, a companhia oferece uma posição mais alta, de gerente, por exemplo. O profissional fica por estar satisfeito com a promoção. Mas, em muitos casos, está assumin­do uma função precocemente. Isso pode se trans­formar num problema. Uma pesquisa da consulto­ria americana Randstad mostra que um quinto dos profissionais americanos empregados é mais velho que seu chefe. Porém, apenas metade dos profissio­nais acima dos 55 anos declara se relacionar bem com colegas mais jovens e 77% dos trabalhadores maduros dizem que os jovens não reconhecem sua experiência. No Brasil, essa mesma realidade se re­pete, afirmam os consultores e gestores de RH. "Os profissionais estão chegando jovens e desprepara­dos aos cargos de chefia", diz a coach Vicky Bloch. A questão, portanto, é saber como lidar com a situ­ação.

"Você sempre será testado por ser jovem", diz Ri­cardo Gelain, de 32 anos, diretor comercial e de marketing da TNT, empresa de transporte de carga. Em sua equipe de oito gerentes, apenas um é mais novo que ele. A situação não é nova para ele, que assumiu seu primeiro cargo de gestor aos 23 anos. Recordan­do-se de algumas situações pelas quais passou na carreira, Ricardo admite que às vezes lhe faltou a ex­periência, mas que em outras ocasiões foi vítima de preconceito. Sua receita é se impor pela competên­cia. "O essencial é demonstrar o seu conhecimento e capacidade para obter o respeito", diz.

• Escolha a titude certa

O líder jovem precisa gastar um tempo analisando qual deve ser sua atitude diante de um profissio­nal mais experiente. Uma reação possível, mas er­rada, é impor respeito à base da força. Pode funcio­nar logo no início, mas o desgaste é inevitável em pouco tempo. Outra reação possível é exatamente a contrária: o profissional aceita a promoção para ser líder, mas não se considera plenamente preparado. Aí, predomina a insegurança e acaba se fechando, quando o certo seria se comunicar muito. A maior re­comendação para um jovem líder é conversar muito e de maneira sincera com a equipe, mostrando seu conhecimento e suas limitações. E, acima de tudo, construir um relacionamento profissional, baseado na busca por resultados para a companhia. "O líder deve deixar claro para os subordinados quais são os objetivos esperados de cada um", diz Antonio Luiz Mendes, diretor da Dale Carnegie Training, empre­sa de treinamento corporativo.

A reação típica de um profissional maduro diante de um chefe mais jovem é a resistência. Por orgulho, por julgar-se mais capaz, ele só vê defeitos na atua­ção do chefe garotão. A partir daí, cria-se um círcu­lo em que o profissional só vê defeitos no gestor e questiona todas as suas decisões. Em poucos meses, ele vira um peso - e nenhum chefe tolera isso por muito tempo. A resistência pode também gerar fal­ta de motivação. "Talvez os piores sejam os que não expressam claramente o que sentem. Eles ignoram o líder e seguem fazendo as coisas com indiferen­ça", afirma o coach Renato Riccí, autor do livro Lide­rando na Crise {Editora Qualitec NewBook).

Como, então, gerenciar um chefe mais novo? A me­lhor resposta se aplica a líderes de qualquer idade: no lugar de resistir, coloque-se à disposição e pro­cure colaborar. É o que faz Sandra Pons, de 50 anos, supervisora administrativa da SH Formas, do Rio de Janeiro, que tem um chefe 17 anos mais novo. Sua receita é oferecer o conhecimento que acumulou, mas sem transforrná-Io em verdade única. "Sei que minha experiência é reconhecida e que tenho liber­dade para expor ideias", diz Sandra. Um lembrete: não se preocupe com a tarefa de convencer a outra parte de que você é bom. Em vez disso, invista no relacionamento, procurando pontos de convergên­cia e interesses mútuos. Desse jeito fica mais fácil encontrar um caminho para o diálogo.

• Para jovens experientes

Veja abaixo as dicas para se dar bem com seu jovem gestor e como liderar uma equipe mais experiente.

Conselhos para um lider jovem...

1 - Entender que os mais velhos detêm conhecimentos e experiências muito importantes para o sucesso de sua aliança.
2 - Saiba ouvir e debater com clareza sua posições.
3 - Invista no conhecimento. Geralmente, os  mais velhos isolam líderes jovens por falta de preparo ou conhecimento.
4 - Demonstre com resultados práticos suas ideias e planos. Prove por mio de resultado seu mérito.
5 - Coloque-se numa posição de humildade e vontade de aprender.

... e para um funcionário mais velho

1 - Entenda que ter um chefe mais novo é um processo natural e uma tendência.
2 - Procure ajudar o novo líder com toda sua experiência.
3 - Evite e resistir e procurar erros nas decisões do chefe.
4 - Pense da seguinte forma: "E se fosse eu? Como gostaria de ser tratado pelos mais velhos?".
5 - Seja aberto e paciente.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus