Aprenda com ele


Cinco lições para tirar da visita de Obama ao Brasil e aplicar em sua carreira.

Revista Você S/A - por Luiz de França e Renata Avediani

Em março, a primeira visita do presidente americano, Barack Obama, ao Brasil desde que assumiu o car­go, em 2009, deixou o país alvoroçado. A expectativa era de que o homem mais poderoso do mundo viesse ao país para negociar temas sérios, como o protecionismo ameri­cano a produtos como laranja e bio­diesel, e a liberação da necessidade de vistos para brasileiros entrarem nos Estados Unidos, por exemplo. Para quem esperava a discussão desse ou de outros assuntos, Obama foi literalmente político e evitou o deba­te direto. A marca de sua passagem por aqui foi a revelação de seu caris­ma e de sua incrivel habilidade co­mo líder."Obama deu uma aula de marketing político, com um perfil mais moderno, que não deseja ape­nas conquistar uma posição favorá­vel, mas quer seduzir seus ínterlocu­tores. E conseguiu", diz Antonio La­vareda, cientista político e especialista em comportamento eleitoral. Um dos objetivos do presidente america­no foi buscar parceria e criar um am­biente propício para que os dois paí­ses estreitem laços comerciais. Para atingir seus objetivos, Obama usou alguns recursos sutis, mas muito efi­cientes. "Ficou nítido que ele adotou estrategicamente um componen­te emocional no seu discurso e no seu gestual com a intenção de con­quistar, e isso é perfeitamente apli­cável ao ambiente corporativo", diz Antonio. Selecionamos alguns ar­tifícios de Obama e listamos cinco lições para você aplicar no dia a dia do seu trabalho (certamente elas vão render bons frutos para sua carreira).

• Adapte-se ao ambiente

- Fato

 Obama não quebrou neces­sariamente o protocolo ao ti­rar a gravata para discursar aos 2000 convidados no Teatro Mu­nicipal do Rio de Janeiro, mas ao apelar para o informal ele deu o tom do seu propósito.

"É uma forma de encurtar a dis­tância entre ele e um público que é composto mais por perso­nalidades do que autoridades", diz José Afonso Catrijo, presi­dente do Comitê Nacional do Cerimonial Público (CNCP).

- Objetivo

Aproximar-se, usando a ima­gem visual. Ele se aproveitou da cultura informal, típica do Brasil. Com certeza não daria certo em um país mais tradicional, como a Alemanha.

- No trabalho

Vai vender uma ideia ou fazer uma apresentação importan­te? Procure conhecer o perfil dos interlocutores. São pessoas mais informais ou a formalida­de é uma marca forte?

• Ganhe a simpatia

- Fato

Obama começou seu discurso no Rio saudando o "povo brasi­leiro", em português. E por di­versas vezes arriscou uma pala­vra ou outra no idioma local.

- Objetivo

"Falar, literalmente, a mesma linguagem do interlocutor aproxima e gera uma empa­tia naturalmente", diz Antonio. Iniciar o discurso dessa forma faz com que as pessoas estejam mais predispostas a ouvir o que você tem a dizer.

- No trabalho

O segredo está na forma de con­duzir as conversas. Ao falar com estrangeiros, nada mal apren­der duas ou três palavras no idioma dos ouvintes. Em es­pecial as mágicas, como "oí" e "obrigada". Para o mesmo idio­ma, a regra é conhecer o estilo das pessoas. São mais asser­tivas ou há espaço para subjeti­vidade? Há algum comentário que possa agradá-Ias para abrir o papo e quebrar o gelo? Essa é uma clara estratégia para mexer com a autoestima do ouvinte.

• Mostre que sabe do assunto

- Fato

Por diversos momentos em seu discurso, Obama mostrou que o Brasil realmente está na pauta. Ele citou trechos da música País Tropical, de Jorge Ben jor, o clás­sico Vasco x Botafogo (que ocor­reu no dia de seu discurso), as mudanças econômicas e sociais vividas pelo país e fatos histó­ricos, como a visita de Dom Pe­dro II aos Estados Unidos.

- Objetivo

Criar intimidade e mobilizar a seu favor a opinião pública em relação a seus interesses polí­ticos e econômicos por aqui. "Ele mexeu com o orgulho dos brasileiros", diz Antonio Lava­reda. "Se a visita tivesse sido um fiasco, as relações entre os dois países ficariam mais difí­ceis", completa.

- No trabalho 

Estudar um tema antes de apre­sentá-lo ou tentar vendê-lo é li­ção básica. O diferencial é dominar detalhes e fazer menção a peculiaridades do assunto. Bus­que informações diferenciadas em sites, redes sociais ou com profissionais experientes nos as­suntos relacionados. Para passar segurança e convencer as pesso­as, em primeiro lugar é funda­mental que você esteja seguro. Isso só é possível se o assunto estiver na ponta da língua.

• Aproxime-se do interlocutor 

- Fato

Obama comparou muitas ve­zes as histórias e a realidade dos Estados Unidos e do Brasil. O passado como colônia, a he­rança africana e os desafios que ambos os países enfrentaram foram alguns exemplos disso.

- Objetivo

Buscar semelhanças e pontos de interesse comuns, na tenta­tiva de igualar os dois países e, com isso, quebrar possíveis re esistências. "Ele estabeleceu uma conversa de primos iguais, e não mais de primo pobre e primo rico", comenta Antonio.

- No trabalho

Buscar semelhanças com a em­presa ou profissional com quem está conversando é um bom pas­so para atingir sua meta. "É uma forma de valorizar o ouvinte. É como abrir a porta de casa para que as pessoas façam parte da sua intimidade", diz Antonio.

• Interaja e demonstre interesse

- Fato

Ao visitar pontos turísticos e emblemáticos, como o Morro do Alemão, atual símbolo bra­sileiro da luta contra a violência, Obama acompanhou uma rodade capoeira e até bateu uma bo­linha com crianças. Atividades tipicamente brasileiras.

- Objetivo

Mostrar interesse pela cultura local e pelas pessoas, para ga­nhar a simpatia e estreitar rela­ções. "Ele foi extremamente ele­gante com essa estratégia", diz José Afonso Carrijo, do CNCP.

- No trabalho

Em uma conversa com clientes, pares ou chefia, não há melhor forma de mostrar interesse pela outra parte do que per­guntando. Aproveite momen­tos de descontração para fazer isso. Mais do que disparar a perguntar sobre tudo, intera­ja na conversa. Fazer com que seu interlocutor sinta que o papo está trazendo benefícios a ele - mesmo sobre temas não relacionados ao trabalho - aumenta a empatia e, consequentemente, melhora a conexão entre vocês. 

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus