Autopromoção: Como emplacar ideias


As empresas estão estimulando seus funcionários a propor inovações e melhorias. Saiba fazer isso de maneira eficiente para seu trabalho aparecer.

Revista Você S/A - Camila Mendonça

O administrador Rafael Cam­pos, de 24 anos, de São Paulo, hoje sócio da Vtex, desenvolvedora de soft­ware para comércio eletrô­nico, entrou na empresa como estagiário há três anos. Em seis meses de trabalho, percebeu que um sistema que a companhia estava criando não da­ria retorno. A partir daí, passou a sugerir mudanças no projeto para os líderes. Como moral de estagiá­rio costuma ser baixo, Rafael pre­cisou insistir muito até ser ouvido. De dez reuniões que agendava, oito eram desmarcadas. Quando final­mente emplacou sua ideia, ganhou o respeito dos líderes. Estimulado, fez outras sugestões e, pouco mais de um ano depois, recebeu o con­vite para ser sócio. "Tenho auto­motivação suficiente para não desanimar", diz Rafael. Hoje, novas ideias valem muito para as organi­zações porque ajudam tanto na inovação quanto na redução de custos. É comum encontrar luga­res que estimulem o funcionário a indicar melhorias, inclusive ofere­cendo prêmios como dinheiro, bô­nus, produtos e vale-compras. Além dos ganhos para o negócio, existe a percepção de que ver uma proposta aprovada motiva o em­ pregado, o que contribui para sua permanência no emprego. Uma pesquisa da firma de recrutamento Michael Page com 200 profissio­nais brasileiros mostra que 63% deles reconhecem iniciativas de estímulo a novas ideias onde trabalham. "É o tipo de jogo em que todo mundo sai ganhando", diz Lilian Graziano, professora de ges­tão de pessoas da Trevisan Escola de Negócios, de São Paulo. "A com­panhia economiza porque retém e deixa as pessoas mais satisfeitas",
diz. A pesquisa mostra que 87,7% dos profissionais sentem-se esti­mulados a dar contribuições.

Mesmo que não exista um prêmio material envolvido, propor alterna­tivas traz um outro tipo de benefício ao funcionário: o ganho de visibili­dade, que deixa seu nome em evi­dência e pode definir uma decisão de aumento ou promoção. Isso só vai ocorrer, no entanto, se a ideia for verdadeiramente boa. "Quando a empresa cria estímulos para obter sugestões, o número de besteiras aumenta tanto quanto o de material aproveitável", diz Marisabel Ribeiro, consultora de capital humano da Mercer. Para não entrar na lista dos projetos que vão para o lixo, a reco­mendação é levar o assunto a sério e atentar para os processos que fa­zem parüe de sua rotina. A ideia que pode mudar uma rotina ou um pro­duto talvez esteja nos detalhes.

Por conhecer bem suas ativida­des, o profissional está numa posi­ção privilegiada para identificar oportunidades de melhoria. Peque­ nas medidas que trazem ganhos de eficiência, redução de custos ou maior velocidade são as que mais chamam a atenção. "As organiza­ções têm dificuldade de enxergar onde estão os obstáculos e, se o profissional faz isso, já recebe a atenção do gestor", diz avalia Re­mulo Farias, diretor de ações estra­tégicas da Associação Brasileira de Recursos Humanos na Bahia. Quan­to mais números você puder reunir (tempo perdido, recursos desperdi­çados etc.), maiores as chances de acerto de sua inovação.

Um cuidado importante na hora de vender uma ideia é explicar quem vai se beneficiar com ela e por quê. Buscar essas informações é tarefa do profissional interessado em participar da gestão. Quanto mais cla­ros forem os dados, maior será a certeza de que a ideia realmente vai produzir a melhoria imaginada. E quem trabalha num lugar que não tem canais de comunicação ou mesmo processos definidos para receber a opinião do funcionário? Nesse caso, uma saída é propor o assunto ao chefe. Mas cuidado. Planeje a apresentação de maneira que seu trabalho seja reconhecido pelo restante da organização e o mérito fique apenas com seu líder. "Dependendo do chefe, você corre o risco de ele reivindicar a autoria do projeto", diz Antonio Carlos Tei­xeira, autor do livro Inovação: Como Criar Ideias que Geram Resultados (Ed. Qualitymark). Uma saída é informar outro responsável, além do chefe. Pode ser o RH. Assim a ideia fica mais pro­tegida de um eventual roubo.

• Proposta de sucesso

Passo a passo para não ver sua sugestão ir parar na Lata do Lixo.

OBSERVE - Analise seu trabalho e a rotina de seu departamento para identificar problemas que estão prejudicando o bom andamento dos processos.

RESOLVA - Identificado o problema, analise quais soluções são viáveis, considerando fatores como custos, tempo e pessoal.

ESPECIFIQUE - Ideias passíveis de serem implementadas sem gastar muito chamam mais a atenção. Às vezes, o retorno é mais importante.

CRIE - Nem sempre existe um problema a ser resolvido, mas apenas oportunidades de melhorar. Identifique o que precisa melhorar em sua área.

UTILIZE NÚMEROS E FATOS - Ao ter uma ideia, corra atrás dos números. Custos, investimentos e retornos financeiros são elementos importantes para embasar sua sugestão.

ANALISE A CONCORRÊNCIA - Ver o que outras empresas estão fazendo ajuda a criar. Questione se que está dando certo na concorrência poder dar certo em sua empresa.

DISCUTA - Apresente a sugestão a um colega de trabalho confiáv vel para ter certeza de que você não está "viajando". Ele pode ver algo que você não viu.

AMADUREÇA - Agir por impulso pode fazer sua ideia morrer na praia. Pense, analise e discuta. Deixe a ideia de lado por um tempo. Teste quando pegar o projeto de novo.

ESCOLHA A PESSOA CERTA - Se a empresa tiver um canal de ideias, utilize o recurso. Caso não tenha, escolha quem é a pessoa mais interessada em receber aquela ideia.

APRESENTE Prepara-se para apresentar a sugestão. Encare como um projeto, atualize dados e mostre com clareza os resultados que podem trazer.

    Oratória

    Preencha aqui seus dados

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus