Como não ser um Cebolinha nas Convelsas de Tlabalho.


Revista Você S.A. - por Maria Tereza Gomes

Todo mundo sabe que é preciso se comunicar direito. Muita gente, porém, acha que falar bem tem a ver apenas com apresentar-se corretamente em público. Ledo engano. É preciso estar afiado também no dia-a-dia, nas conversas com chefes e colegas. Ser ouvido por aqueles que trabalham com você é meio caminho andado para o sucesso profissional. É sinal de que você pode influenciá-los, pode mostrar suas opiniões, dar palpites que serão levados em consideração. O inverso também é verdadeiro: ao negligenciar a fala, você pode estar influenciando negativamente as pessoas à sua volta. Não se trata apenas de falar o português correto. Tem a ver também com o tom e a dicção da voz. Afinal, quem gosta de trabalhar com alguém com a voz do Pato Donald matraqueando ao lado? Ou, então, com outro que troca as consoantes como o Cebolinha? No livro Comunicação Verbal - Um Guia Prático para Você Falar em Público, as professoras Albertina Silva Froldi e Helen Froldi O"Neal, do Mackenzie, em São Paulo, dedicam um capítulo a esse tema. Veja a seguir as recomendações delas para você falar direito.

  • Atenção à dicção

Se você fala - "eu própío" em vez de "eu próprio", esteja certo de que causará as piores impressões. Para combater defeitos de pronúncia de palavras, faça os seguintes exercícios:
- Abra e feche a boca o máximo possível;
- Articule as vogais exagerando o movimento dos lábios e da boca;
- Leia em voz alta e devagar;
- Pronuncie todas as sílabas pausadamente;
- Exercite, em voz alta, a pronúncia correta das palavras com sílabas complicadas: paralelepípedo, problema, discernimento, retrógrado, superstição.

  • Tome cuidados especiais para não omitir as letras M, R e S do final das palavras

Não é ôntí, é ontem. Não é fazê, é fazer. Não é vamo, é vamos. Acrescentar letras que não existem também é feio. Fale "advogado" e não "adevogado", "prazerosamente" e não "prazeirosamente".

  • A voz merece cuidados especiais

"Uma voz sem timbre, descolorida e desanimada não provoca emoção alguma", dizem as professoras. Segundo elas, você deve se preocupar sempre com o tom e o volume. Por isso, é importante gravar a própria voz e depois escutá-Ia. Elas recomendam alguns exercícios para tornar sua voz mais agradável:
- Inspire profundamente. Segure a respiração por 5 segundos. Expire contando de novo 5 segundos;
- Repita uma frase várias vezes variando o volume da voz a cada vez;
- Leia em voz alta.

  • Mostre suas emoções por meio da voz. Isso depende de treino

"É como cantar uma melodia em vários tons", dizem as professoras Albertina e Helen." Quer um exemplo? Tente pronunciar as palavras "que lixo" com a mesma entonação com que pronuncia "que luxo". Você verá que é difícil. Cada palavra tem o seu tom correspondente, aquele que realça seu significado.

  • A respiração é a energia da fala

Há algumas regrinhas para você não perder o fôlego no meio da frase. Nunca fale sem ter os pulmões cheios. Nunca fale enquanto estiver colocando ar dentro deles. Não respire no meio da frase - isso quebra o sentido e o ritmo. A respiração deve ser profunda, frequente, silennciosa e abdominal. Mantenha a coluna ereta.

    Oratória

    Preencha aqui seus dados

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus