Dormir bem pode rejuvenescer homens


Estudo com sexo masculino verfica que redução do sono profundo dimnui hormônio que retarda envelhecimento.

Jornal Folha de São Paulo - por Daniela Sander

A fonte da juventude pode estar no sono. Um estudo da Universidade de Chicago confirmou que a quantidade de sono profundo influi na produção de um hormônio que afeta o envelhecimento. O estudo saiu publicado na revista especializada "Joumal of the American Medical Association".

Os resultados da pesquisa mostram que a redução da quantidade de sono profundo, uma das fases do sono, tem como efeito a diminuição da secreção do hormônio de crescimento (GH, em inglês).

Os resultados só valem para homens. Segundo Eve Van Cauter, endocrinologista que coordenou a pesquisa, é difícil obter dados para mulheres, pela influência do ciclo menstrual e da menopausa.

A deficiência do GH é observada em idosos e está associada ao acúmulo de gordura, à osteoporose, à perda de massa muscular e à redução do desempenho físico. A deficiência pode ser tratada com reposição hormonal.

"É uma terapia incômoda e cara", disse Van Cauter à Folha. "Pode causar hipertensão, diabetes e dor nas articulações".

O trabalho de Van Cauter mostra que seria possível combater a queda hormonal com o tratamento da perturbação do sono.

"É a diferença entre apertar um parafuso com alicate e com chave de fenda", comenta o neurologissta Flávio Alóe, do Laboratório do Sono do Hospital das Clínicas.

"Você tem o mesmo efeito com os dois. O alicate, que danifica o parafuso, é a reposição hormonal. A chave de fenda, que não danifica, é a melhora do sono", diz Alóe.

Entre os benefícios da reposição do GH está a melhora do desempenho físico e do aspecto de unhas, cabelos e pele, segundo o endocrinologista Marcio Mancini, do Grupo de Obesidade e Doenças Metabólicas do HC.

"Mas não se dão injeções diárias, que chegam a custar mais de US$ 1.000 por mês e têm efeitos colaterais como diabetes, por motivos estéticos", diz Mancini.

O GH tem se tornado conhecido recentemente por ser usado por praticantes de atividade física para aumentar a massa muscular e o desempenho. Os efeitos a longo prazo do uso do GH por pessoas saudáveis, segundo Alóe, ainda não foram estudados.

Para Van Cauter, "seria preferível ter uma nova classe de remédios, que melhorassem o sono profundo e por consequência aumentassem o GH".

O problema é que os medicamentos desse tipo estão ainda em fase experimental, segundo ela. Não há drogas no mercado para estimular o sono profundo.

  • Ambiente e genética

    Van Cauter afirmou que não se sabe por que as mudanças no sono ocorrem. "Não há nada que indique a influência de fatores ambientais". A deterioração do sono profundo que, segundo ela, pode ser "determinada em parte geneticamente" seria uma ocorrrência natural nos homens.

    A diminuição da proporção de sono profundo em relação ao sono total muitas vezes não é percebida. No estudo, nenhum dos homens tinha queixas sobre o sono. Van Cauter diz que algumas pessoas podem sentir mais cansaço.

    Enquanto não há tratamentos específicos para aumentar o sono profundo, ela recomenda procedimentos como horários regulares para dormir, fazer exercícios físicos e evitar cafeína e álcool. "Tudo isso melhora o sono total, mas aumenta o sono profundo em pequena quantidade".

  • Redução de sono faz hormônio cair em até 75%.

    O estudo da Universidade de Chicago relacionou sono e secreção do hormônio do crescimento (GH) analisando 149 homens entre 16 e 83 anos.

    Todos os participantes eram saudáveis, tinham peso e altura normais e não usavam drogas. Nenhum deles tinha reclamações sobre distúrbios de sono.

    Há dois estágios de redução do sono profundo. O primeiro ocorre na passagem da fase jovem (entre 16 e 25 anos) para a meia-idade (que começa entre 36 e 50anos).

    Nesse estágio, a duração total do sono foi mantida, mas a quantidade de sono profundo diminuiu de 18,9% para 3,4% do total de sono. A quantidade de GH secretado foi reduzida em quase 75%.

    Segundo Flávio Alóe, a secreção do GH ocorre principalmente no início do sono proofundo, no começo da noite.

    No segundo estágio da redução do sono profundo (que começa a partir de 71 anos), o total de sono caiu em média 28 minutos por década.

    Eve Van Cauter disse que o sono profundo parece ser mais preservado nas mulheres, ao menos até a menopausa. "Estamos buscando dados para muulheres, mas é uma tarefa hercúlea", pois há influência de muiitas variações hormonais.

  • Os Estágios do Sono

    Cada ciclo de sono está dividio em cinco fases: quatro sem sonhos e uma com sonhos.

    1) Sono de ondas lentas: nas quatro fases iniciais (cerca de 75% do tempo total de sono), as ondas cerebrais ficam cada vez maiores e mais lentas, até chegar ao estágio mais profundo dee sono. Diminuem a frequência respiratória e a cardíaca, o metabolismo e a atividade mental.

    2) Sono REM: em seguida, aumenta a atividade cerebral. O pico de atividade é a quinta fase do sono, a REM M (sigla em inglês para Movimento Rápido dos Olhos), quando ocorrem os sonhos. O relaxamento muscular é máximo e há aumento da frequência do coração e da respiração.

    3) Sono de ondas lentas: após a fase REM, a atividade cerebral diminui gradualmente e o ciclo recomeça. Cada ciclo dura entre 75 e 110 minutos.

    • Administração do Tempo

      Preencha aqui seus dados

    © Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus