Naturalidade é Fundamental no Discurso


Timidez e falta de preparo, às vezes, transformam ato de falar em público em um suplício.

Jornal Gazeta Mercantil 

Na Antiguidade, Demóstenes foi considerado o pai da oratória, por ter vencido a gagueira e se transformado no maior tribuno da Grécia. Na atualidade, embora não precisem ter o grau de eloquência de Demóstenes, os executivos — de qualquer nível hierárquico — precisam transmitir suas idéias com clareza e segurança, seja em uma corriqueira reunião de trabalho ou em uma palestra para os acionistas. Ter domínio da fala e expor o tema com clareza são habilidades essenciais para um profissional de nível de gestão. Mas, para isso, é preciso treino e técnica.

A timidez e a falta de preparação, por vezes, transformam o ato de falar em público em um verdadeiro suplício para os executivos, na maioria dos casos por conta de sua timidez. “O que poucos sabem é que não nascemos tímidos”, afirma o consultor Emílio Gama, formado em Dramaturgia e em Teatro. “O tímido é um grande vaidoso e necessita chamar a atenção para si. A timidez é um conjunto de crenças que desenvolvemos no decorrer de nossas vidas. Na verdade nos intitulamos tímidos. Adquirimos [essa timidez], mas isso pode ser mudado”, sugere Gama. Para o consultor, é comum — e absolutamente natural — a pressão  exercida por parte das organizações sobre seus executivos, que têm como uma de suas várias incumbências “personificar” a empresa perante todos os seus públicos. E da mesma forma que acontece em relação à competividade e à busca pelo sucesso, o fato de os profissionais terem de falar em público não pode se transformar em “um terror infundado”. Ao contrário, pode até ser saudável. Mas, para isso, o executivo deve estar disposto a progredir. “Quando o profissional percebe que tem limitações, deve procurar ajuda”, afirma Gama. “Fazer teatro é uma boa dica para se autoconhecer, trabalhar a expressão corporal, ter o controle pela voz.”  Na opinião do consultor, um curso de oratória agrega ao profissional novas técnicas para um bom discurso. “Em princípio, é importante estar plenamente consciente do que se precisa fazer”, orienta Gama. “Pessoas com problemas de dicção, gagueira ou algo do gênero, mesmo com essas deficiências, conseguem cantar ou discursar. Isso porque elas estão cientes do que precisa ser feito”, exemplifica. Para alguns executivos, mais do que se expressar em público, o temor é de não conseguir transmitir a mensagem de forma correta. “Em princípio, é preciso conhecer seu público-alvo e ter domínio da pauta”, sugere Edmar Oneda.

  • Hora do improviso

Antes de realizar uma palestra ou exposição, o executivo precisa definir o tema, estudar o perfil do público e saber o objetivo da apresentação. “Sempre que alguém deseja falar algo, há uma intenção, que gera expectativas tanto no palestrante quando na platéia”, enfatiza Oneda. “Por isso, é fundamental conhecer o público e ter domínio do assunto em pauta.” O consultor Emílio Gama, porém, alerta que, embora na maioria das vezes o executivo represente a empresa, ele não precisa saber de tudo sobre o tema que irá abordar. Esse tipo de preocupação, aliás, pode criar situações de verdadeiro pânico para os profissionais. Conforme o consultor, um bom orador pode improvisar, de acordo com a necessidade da ocasião. “Mas não altere sua essência e seu jeito de ser, muito menos use modismos ou cópias que não condizem com sua real personalidade.”

Para Oneda, uma boa forma de preparar um discurso, palestra ou apresentação é refletir sobre o assunto e, a partir daí, ordenar as idéias, para em seguida colocá-las no papel e planejar como o tema será abordado verbalmente. Com os pensamentos no papel, fica mais fácil organizar as informações e dispô-las na ordem cronológica de abordagem. “Ao ser convidado para fazer uma apresentação ou palestra, o executivo deve procurar saber o máximo sobre o público”, observa. “Depois, definir qual é o objetivo da sua fala, porque ele correrá o risco de se perder e não chegar a lugar algum.” Na sequência, diz Oneda, é importante determinar os tópicos da apresentação e os temas necessários para alcançar o objetivo. Embora seja trabalhoso, fazer o roteiro da palestra é um passo importante, uma vez que esse script poderá ser utilizado posteriormente e também ajudará a deixar o tema “na ponta da língua”. Uma palestra roteirizada gera segurança”, garante.

Os especialistas concordam que transmitir naturalidade é a premissa para que uma palestra seja bem-sucedida. Assim, em caso de erro, nada de pânico. Agir de maneira natural fará com que a platéia mantenha-se atenta. Junto a isso, é essencial usar uma linguagem clara e correta e procurar sempre olhar para a platéia.  Falar em público exige treino. Não basta subir no palco e sair discursando. Além disso, não existem fórmulas mágicas para se transformar em um mestre da oratória. Mas, com a prática, é possível aprender — e desenvolver — essa habilidade. “Se eu ouço algo, posso esquecer. Se eu vejo algo, posso lembrar. Mas se eu fizer algo, certamente saberei”, aponta Oneda. Segundo especialistas, o script deve ser usado como um apoio, para que não se fique dependente da memória. O palestrante, porém, jamais deve decorar ou ler trechos preestabelecidos (a menos que sejam citações de outros autores, por exemplo). Se fizer isso, a platéia pode achar que o orador está preso ao roteiro ou que está inseguro.

Junto a isso, deve-se, sempre que possível, usar — corretamente — recursos audiovisuais. Neste sentido, há dicas importantes: fontes muito grandes ou muito pequenas devem ser evitadas, assim como texto brancos sobre fundos claros ou imagens. Além disso, os slides devem ter pouco texto. Em resumo: seja sintético. O excesso de dados pode prejudicar a apresentação.

  • Venda seu peixe!

- Conheça seu público
- Formule objetivos a serem alcançados
- Defina o conteúdo a ser exposto, estabeleça de maneira precisa a profundidade de como será abordado e os pontos-chave a serem reforçados
- Organize a exposição em tópicos, de maneira que cada assunto esteja bem entrosado com o anterior e com o posterior
- Defina o tempo da apresentação ou palestra
- Realize um ensaio antecipado, de preferência filmado, desta forma conseguirá ver os pontos a serem melhorados
- O volume da voz deve estar de acordo com o ambiente
- Preocupe-se com a postura, os gestos e a expressão corporal
- Evite vícios de linguagem
- Utilize o humor com cautela

    Oratória

    Preencha aqui seus dados

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus