Quer se dar bem? Celebre seus problemas primeiro.


Percebo que é muito comum as pessoas colocarem panos quentes nas situações de problema, culpando a economia em vez de buscar os responsáveis dentro de casa. Como fazer com que cada um assuma seus problemas e busque soluções de maneira eficiente? Marcelo Rocha, do Paraná

Revista Você S/A - por Vicente Falconi

Antes de mais nada: não existem culpados. Existem causas. No entanto, diante de um problema, sempre parece mais fácil encontrar um culpado ou inventar uma situação externa inesperada sobre a qual ninguém tem controle. Não vai resolver nada, mas todos saem da sala de reuniões aliviados.

Acredito em algo que chamo "cultura de enfrentamento". Em linhas gerais, significa dar mais importância aos pro­blemas do que aos bons resultados. Em vez de escondê-los, as companhias precisam aprender a celebrá-los. É o que acontece quando as pessoas se acostumam a falar aberta­mente sobre o que deu errado - e, claro, partem em busca das soluções. Em geral, todos querem falar sobre o que vai bem. Mas, para melhorar uma operação continuamente, é preciso saber o que vai mal. Numa reunião de diretoria, por exemplo, é bastante comum que os executivos contem todos os bons resultados de sua área. O presidente de uma em­presa que sabe enfrentar seus problemas perguntaria: "Fulano, quais são os problemas de sua área? O que você está precisando melhorar? O que mais o incomoda? Na próxima reunião, você poderia trazer uma lista de seus principais problemas e como você está fazendo para resolvê-los? Gostaria também de saber o que podemos fazer para ajudá-lo". É decisivo que o chefe dê importância aos problemas e os discuta sem emoção. É preciso elogiar quem explicita seus problemas e o desejo de atacá-los, em todos os níveis da organização. O medo natural que as pessoas têm de fazer isso pode ser vencido à medida que as chefias, a começar pelo presidente, agradecerem àqueles que apresentam pro­blemas para ser resolvidos e os ajudarem nessa tarefa.

Além disso, toda empresa deveria capacitar os funcioná­rios no método de solução de problemas. Quando a empre­sa investe no treinamento da equipe, as pessoas aprendem a analisar as questões difíceis encontrando suas verdadeiras causas e dando uma solução definitiva. Essas empresas ga­nham vantagem a cada dia. Seus colaboradores precisam aprender a localizar lacunas e a estabelecer metas, a saber o que é um problema, a saber convocar os funcionários e montar um bom plano de ação, a executar e controlar a execução, a padronizar e verificar o cumprimento de padrões, a conduzir reuniões de acompanhamento de metas e solu­ção de problemas, entre outros. Não basta aprender essas
coisas em sala de aula, é preciso praticar. Só assim o verda­deiro aprendizado entra pelas mãos.

Gostaria de deixar uma ideia para você: gerenciar é resol­ver problemas. Se não existem metas e solução de proble­mas, não existe gerenciamento. A empresa está à deriva e despreparada para enfrentar o mundo de hoje.

• Basta trabalhar direitinho e entregar resultados ou é preciso saber fazer política para subir na carreira? Na sua visão, o que é a tão falada política no ambiente corporativo? Como usar isso a meu favor? Anônimo

Sua pergunta é excelente e vai servir para muitos, sobretudo para os que iniciam sua vida profissional e terão de enfrentar os mais varia­dos ambientes de trabalho. A vida, e não somente a vida empresarial, é feita de decisões, de escolhas. São decisões diárias desde situações bem simples até escolhas complexas que poderão afetar a vida de muita gente. O que vai fazer com que você tome decisões certas são os seus valores, aqueles princípios que sua família e seus amigos ao longo da vida transmitiram a você. Não há nada mais importante do que ter os valores certos na vida. O que é importante para você? Seus valores responderão a essa pergunta sem que você tenha de sequer pensar. Seus valores são aqueles princípios arraigados em sua alma e de que talvez você nem mesmo tenha consciência. No entanto, eles serão decisivos nas escolhas que você fará ao longo de sua carreira. É mui­to fácil, e até mesmo comum falar que a ética é um bom valor e fazer escolhas que não são éticas. Se a ética for de fato um valor importante para você, suas decisões serão tomadas de forma automática sempre nessa direção. Você não terá de pensar, as escolhas virão automaticamente na direção de seus valores.

Bem, dito isso, respondo de forma mais direta à sua per­gunta. "Trabalhar direitinho", para quem tem os valores certos, significa fazer sempre o melhor que você puder pa­ra o benefício de seu próximo, seja ele um cliente interno ou externo. Isso é ética. "Fazer política", para quem tem os valores certos, significa tratar todos bem e com respeito. Mas sem prejuízo de suas convicções. Defenda seus pontos de vista, resista às proposições erradas, mas respeite as pes­soas. Você pode brigar à vontade sem desrespeitar ninguém. Em outras palavras, "vá na bola, e não na canela". Olhando para trás em minha vida - tenho 72 anos - e resumindo, diria o seguinte: "Faça com amor ou não faça". O resto virá como decorrência. Não se preocupe.

    Administração do Tempo

    Preencha aqui seus dados

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus