Saúde: corpo são, mente sã


Eles aderiram às práticas mais variadas para aliviar a tensão e são unanimes: vale a pena.

Revista Você S/A - por Vanessa Vieira

Para quem está sempre ocupa­do, correndo, cheio de coisas pendentes para terminar, achar tempo para incluir na rotina alguma atividade física ou hobby parece missão impossível. O bioquí­mico Sérgio Gregório da Silva, pro­fessor de fisiologia do exercício na Universidade Federal do Paraná, explica como a atividade física nos ajuda a atingir o triplo equilíbrio. "Do ponto de vista bioquímico, o exercício favorece a liberação de endorfina, hormônio que dá a sen­sação de bem-estar e relaxamento, e de neurotransmissores, como a serotonina e a norepinefrina, anti­depressivos naturais." Do ponto de vista fisiológico, o esporte ajuda na regulação do cortisol, hormônio do
estresse que promove a constrição dos vasos. No médio prazo, o efeito é uma redução na pressão arterial e na freqüência cardíaca. "A pessoa fica menos ofegante ao realizar atividades simples do dia a dia, como subir uma escada, o que aumenta o bem-estar relacionado à saúde", diz o bíoquímí­co. Por fim, do ponto de vista psicológico, os maiores efeitos são vistos na autoestima. A pessoa passa a se ver como alguém que se cuida e au­menta a confiança em sua imagem corporal. "A atividade escolhida tem de promover um desligamento das preocupações do trabalho", diz a psi­cóloga Liliana Scheliga, da clínica Mind Solutions, de São Paulo. A se­guir, algumas atividades para manter corpo e mente em equilíbrio.

• Ioga

Renata Antunes, de 30 anos, direto­ra executiva de uma indústria de alimentos funcionais em Minas Ge­rais, aderiu à ioga há pouco mais de um ano. O acúmulo de atividades no trabalho e a pressão autoimposta para atingir as metas de crescimen­to do negócio fizeram com que a executiva fosse diagnosticada com ansiedade e depressão. Renata che­gou a fazer terapia e a tomar remé­dios e resolveu participar de uma aula experimental de ioga. "Já nesse primeiro dia cheguei em casa e con­segui dormir muito melhor." Hoje, ela sente que a prática mudou sua forma de lidar com o trabalho e, con­sequentemente, melhorou sua saúde. "A ioga trabalha o controle da mente por meio da meditação. Então, não deixo a ansiedade me dominar, por­que o corpo adoece quando não con­segue acompanhar o ritmo de ativi­dade da mente", diz.

Segundo Nestor Mota, diretor do Instituto Goiano de Ioga, são as técnicas de respiração e a filosofia por trás da atividade as grandes respon­sáveis pelo efeito antiestresse da ioga. "Em cada situação, quando estamos tranquilos, assustados ou agitados, respiramos de umjeito diferente. Com as técnicas aprendidas, é possível in­terferir nesse processo instintivo e usar a respiração correta para mudar o estado emocional", afirma Nestor.

• Corrida

Segundo os especialistas, as ativida­des físicas que melhor combatem o estresse são as aeróbicas, como cor­rida, caminhada, natação e ciclismo. "Elas são de caráter contínuo, sem interrupções. Precisamos de ao me­nos 20 minutos de atividade contínua para desencadear as alterações de bem-estar trazidas pelo esporte", ex­plica Sérgio Gregório da Silva, pro­fessor de fisiologia do exercício na Universidade Federal do Paraná.

• Dança

O casal Adriano Sampaio, de 47 anos, e Mirian Dayrell, de 53, de Belo Horizonte, encontrou na dança a solução para incluir um hobby na agenda sem sacrificar o tempo para os momentos a dois. Diretores de uma imobiliária na capital mineira, eles notaram que o trabalho estava ocupando um espaço grande demais na vida dos dois. "Entrávamos às 8h e não tínhamos hora para sair. E, quando estávamos em casa, acabá­vamos falando de trabalho", lembra Mirian. Para mudar isso, há três anos eles se matricularam juntos numa escola de dança. As aulas, feitas duas vezes por semana, reú­nem o casal numa atividade praze­rosa. "É um programa de que gos­tamos, que relaxa a nós dois", diz ela. Além da atividade física, que consome em média 470 calorias por hora, a dança também aumentou a cumplicidade do casal nos momentos de lazer. "Aproveitamos muito mais as festas nos fins de semana", acrescenta a corretora.

Motocross

O motocross, hobby escolhido pelo vice-presidente do WTC Brasil, Leo­nardo Figueiró, de 34 anos, concilia atividade física, possibilidade de so­cializar e diversão. "As trilhas pro­porcionam um contato com a natu­reza porque você passa por paisagens belíssimas, além de ser uma oportu­nidade de encontrar os amigos." A atividade também ajuda o executivo a se desligar das preocupações do tra­balho. "Quando faço motocross, "es­queço do resto", diz Leonardo.

• Artes

Teatro, pintura e modelagem. Essas atividades podem ter efeitos podero­sos sobre o estresse. "A arte permite uma abordagem mais lúdica e menos estressante dos problemas", diz a ar­teterapeuta Ana Cláudia Afonso Valladares, diretora da União Brasi­leira de Associações de Artet terapia. Segundo os especialistas na área, cada forma de expressão serve a di­versos propósitos: No teatro, por exemplo, ao encarnar diferentes per­sonagens, o paciente pode tocar seus conflitos com certo distanciamento e extravasar o estresse como se esti­vesse brincando.

Já a pintura serve ao relaxamento. "Ao diluir as tintas que vamos usar na tela, diluímos também as emoções que causam ansiedade", diz Ana Cláudia. "É uma forma de entrar em contato com o inconsciente." A modelagem em bar­ro tem efeito catártico. "A pessoa pre­cisa bater e amassar a argila", diz a arteterapeuta. A atividade também tra­balha a paciência, já que é preciso res­peitar o tempo de secagem do barro e o prazo para submeter o material às queimas, sob risco de que a peça se quebre se não for preparada do jeito certo. O prazo de cerca de 15 dias para concluir um objeto faz da modelagem uma arte em que a pressa é literalmen­te inimiga da perfeição. "A modelagem também ensina sobre a flexibilidade ao adicionar e retirar material para dar a forma ideal ao que queremos criar", acrescenta Ana Cláudia.

    Administração do Tempo

    Preencha aqui seus dados

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus