Uma estratégia para vencer profissionalmente


Não importa sua formação acadêmica nem mesmo a experiência profissional. Você pode chegar longe na carreira se prestar atenção nas atitudes dos profissionais de sucesso.

Revista Você S/A - por Renato Grinberg*

Muito antes de ser execu­tivo e de chegar a ser presidente de empresas, eu era músico, mas esta­va insatisfeito com minha carreira. Havia optado pela música instrumental e, mesmo tendo alcançado certo re­conhecimento, com CDs gravados e tumês realizadas, enfrentava muita dificuldade, pois a música instrumen­tal nunca foi muito valorizada. Como a maioria dos jovens artistas, meu sonho era ser famoso. o entanto, conforme o tempo foi passando, percebi que isso não aconteceria. Então deparei com o dilema: me contenta­ria com a vida de músico sem fama ou mudaria de carreira.

Pensando nessa questão, descobri que o que realmente me movia era o objetivo de realizar algo grande, e quando não vi mais essa possibilidade com a música ficou claro que deveria mudar. Foi quando decidi que perse­guiria o objetivo de ser um executivo de sucesso. A partir daí, embarquei em uma árdua jornada de transformação, o que me levou aos Estados Unidos, onde cursei um MBA na Uni­versity of Southem Califórnia, e assim trabalhei em algumas das maiores corporacões do mundo, como a Sony Pictures e a Warner Bros.

De volta ao Brasil, continuei galgan­do os degraus do mundo corporativo e cheguei à presidência da operação brasileira da Trabalhando.com, uma multinacional do segmento de recru­tamento e seleção. Dirigindo essa empresa desde 2008, tive o privilégio de conhecer muitos executivos e pro­fissionais que estavam em busca de novas oportunidades de trabalho, o que me deu acesso a uma infinidade de histórias muito interessantes. Analisando minha trajetória, os anos nos Estados Unidos e os inúmeros executivos que tive a oportunidade de conhecer, passei a refletir mais profundamente sobre a seguinte questão: o que faz um profissional se destacar dos demais, independentemente da formação acadêmica ou mesmo da experiência?

A busca da resposta se tornou quase obsessiva para mim. Frequen­temente, quando orientava profissio­nais ou executivos com dificuldadesna carreira, vinha à mente uma cena de um dos filmes do personagem Rocky Balboa, o incrível boxeador vivido por Sylvester Stallone a partir dos anos 1970. Na cena em questão, em que o protagonista estava prestes a perder uma luta, seu treinador se aproximava dele e falava: "Olho de tigre! Lembre-se do olho de tigre!". Era a senha para a grande virada.

Desde então, passei a estudar e a associar a ideia do olho de tigre às lu­tas da vida profissional. Cheguei à conclusão de que esse é o critério realmente levado em conta para de­tectar aquelas pessoas que são forjadas para o sucesso. Entretanto, o olho de tigre não é algo que surge casualmen­te ou que é espontâneo sempre. É algo que se cultiva ao longo da vida e que se aprende a manejar, mas que depen­de, antes de tudo, de tomar a decisão de ser um vencedor. Fui mais fundo em minha pesquisa e identifiquei sete características comuns a todos esses profissionais, e o conjunto dessas ca­racterísticas é o que verdadeiramente constitui o olho de tigre. Confira.

1 -  Ter consciência de suas fortale­zas e de suas fraquezas, ou seja, desenvolver apurado autoconhe­cimento. A percepção que temos de nós mesmos pode ser distorcida, por isso, é necessário frieza e fazer uma autoanálise rigorosa e realmente ho­nesta sobre nossas competências.

2 - Ter dedicação extrema, incan­sável e eficiente. Muita gente se engana contando a dedicação apenas por horas, e não por eficiên­cia. O tempo investido em um proje­to deve ser maximizado para obter resultados, independentemente da quantidade de horas gastas.

3 - Ser criativo para transpor os obstáculos que aparecem pelo caminho. O que distingue o pro­fissional criativo dos outros é sua atitude em relação aos problemas. O criativo direciona sua energia para a solução. Não fica paralisado, lamen­tando o problema.

4 - Ter foco ao definir os objetivos e não confundi-Ios com sonhos, pois objetivos devem ser coe­rentes com suas habilidades e lirnitações. Ao contrário dos sonhos, objetivos são tangíveis, pertencem à realidade e têm características mui­to claras: são específicos, são men­suráveis, são planejados, são flexíveis e têm prazo para serem atingidos.

5 - Ter a capacidade de identificar oportunidades menores e não deixar as grandes chances pas­sarem por medo de fracassar. Para saber se uma situação pode impulsio­nar sua carreira ou seus negócios, verifique se a situação leva você para mais perto de seu objetivo.

6 - Desenvolver e manter uma rede de contatos. Se você quiser fi­car bem no mundo corporativo, precisará estar rodeado de aliados. Conhecer pessoas-chave é a meta fi­nal, o alvo do networking.

7 - Saber se posicionar. A maneira como você se apresenta e se posiciona vai comunicar se você é um vencedor ou um perdedor. As­sim como um produto, um profissio­nal precisa ter um posicionamento claro e alinhado com suas fortalezas. Quem tenta ser tudo demonstra um posicionamento confuso.

" É dirtetor geral da trabalhando.com Brasil e autor do livro A estratégia do olho de tigre lançado pela editora Gente.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus