Adulação e sucesso


Aduladores obtém resutados positivos em entrevistas.

Revista Scientific American

Como os chefes imaginam o subordinado ideal?  Jovem, com boa formação e flexibilidade - isso é óbvio. Mas nada de bajuladores e daquelas pessoas que dizem sim a tudo, não é mesmo? Pois o psicólogo Timothy Judge, da Universidade de Flórida, acredita ter descoberto essas "nobres" qualidades entre os pré-requisitos dos candidatos durante a seleção pessoal.

O pesquisador distribuiu diferentes questionários para 116 estudantes que pleiteavam emprego. Entre outras coisas, eles deveriam informar como se portavam durante a entrevista com o chefe do RH: se apresentavam seus pontos fortes, enfatizando-os - ou se o seduziam com elogios e sinais de aprovação. Ao mesmo tempo, Judge informou-se com os entrevistadores sobre o julgamento que faziam de cada candidato.

Ficou provado que, durante as entrevistas, a maioria dos bajuladores causou boa impressão - em compensação, poucos daqueles que tiveram a coragem de se mostrar como de fato eram conseguiram o mesmo efeito. O pesquisador espantou-se com a preferência pelo método "jogar confete", pois contradizia os veementes testemunhos dos chefes, que afirmavam não gostar de aduladores. "Podemos chamar o segredo do sucesso de bajulação ou simplesmente de "competência social"", comenta Judge.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus