Alimentação: obesidade danifica cérebro


Estudo revela que comer demais provoca inflamação cerebral - e pode deixar a pessoa neurologicamente incapaz de controlar seu apetite.

Revista Superinteressante - por Salvador Nogueira e Bruno Garattoni

Todo mundo conhece os riscos trazidos pela obesidade - diabetes, doenças car­diovasculares, menor expectativa de vida. Mas uma nova descoberta está surpreendendo a comunidade científi­ca: a gordura também causa danos ao cérebro. Pesquisadores da Universidade de Nova York estudaram o cérebro de 63 pessoas - 44 delas tinham sobrepeso ou obesidade e as demais eram magras. A experiência constatou que, nos indiví­duos obesos ou acima do peso, o cére­bro apresentava duas alterações impor­tantes: tinha níveis mais altos de fibrinogênio, uma proteína que causa inflamação, e menor córtex orbitofron­tal - região cerebral que coordena a tomada de decisões. Os cientistas ainda não sabem - explicar exatamente como esse processo se desen­rola. Mas apostam no seguinte: obesidade gera fi­brinogênio, que gera inflamação, que gera danos ao córtex. E tudo isso gera consequências perma­nentes - e terríveis. "Essa inflamação, ao afetar a integridade do córtex orbitofrontal, pode reduzir o controle da pessoa sobre seus hábitos alimenta­res", afirma o estudo, coordenado pelo psiquiatra Antonio Convit. Ou seja: indivíduos acima do peso poderiam se tornar neurologicamente incapazes de comer menos. Escravos do próprio apetite. E com dificuldade para se lembrar das coisas.

Uma pesquisa recém - publicada nos EUA consta­tou que a obesidade afeta a capacidade de memo­rização. A diferença é que, nesse caso, a sequela não é permanente (perder peso reverte o efeito).

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus