As bactérias intestinais que provocam ansiedade e depressão


Revista Scientific American

Pesquisadores da Universidade McMaster, no Canadá, conse­guiram demonstrar a influência das bactérias intestinais na química cerebral e, consequentemente, no comportamento. Já era conhecido o fato de que todos nós hospedamos no intestino bilhões de microrganis­mos - e convivemos em harmonia com a maioria deles, já que vários nos protegem de infecções e forne­cem nutrientes para as células. Mas fazem bem mais que isso.

No estudo publicado no perió­dico científico Gastroenterology, pesquisadores avaliaram o efeito da destruição da flora bacteriana intestinal de ratos adultos por meio da administração de antibióticos e observaram significativas mudanças no comporta­mento de animais adultos: os roedores ficaram mais ansio­sos e menos cuidadosos. A
transformação foi acompanhada por aumento do fator neurotrófico derivado do cérebro, associado à depressão e à ansie­dade. Com a interrupção dos anti­bióticos obtinha-se o restabelecimento da flora intestinal e da química cerebral - e os ratos volta­vam a apresentar comportamento normal.

Em outro mo­mento da inves­tigação, os cien­tistas inocularam bactérias provenien­tes do organismo de um animal de tempera­mento enérgico no intestino de outro roedor de comporta­mento pouco ousado. Curiosamente, constataram que o rato "tranquilo" passava a se comportar de maneira mais ativa.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus