Barulhos de Tráfego Podem Aumentar Pressão Arterial


Jornal Folha de São Paulo

Um estudo realizado com mais de 24 mil suecos de 18 a 80 anos e publicado no periódico "Environmental Health" constatou que viver próximo a ruas barulhentas pode aumentar a pressão arterial. O risco de manifestar a doença é 45% maior para moradores de áreas com ruíídos acima de 64 decibéis (volume que os pesquisadores compararam com o barulho de uma máquina de lavar louças). Uma rua de tráfego intenso tem cerca de 70 db e vias expressas, 85 db.

De acordo com os pesquisadores, os resultados sugerem que pessoas que vivem em áreas barulhentas devem se esforçar ainda mais para manter hábitos saudáveis para minimizar os riscos.

Eles acreditam que o barulho constante pode causar um estresse no organismo que poderia aumentar a pressão do sangue. "Uma das hipóteses é que o estresse esteja relacionado. Ele aumenta a secreção de vários tipos de hormônios, como a adrenalina e o cortisol, que elevam a pressão. Sabe-se que ele é um fator de risco para doenças cardiovasculares", afirma o cardiologista Fernando Nobre, presidente da Sociedade Brasileira de Hipertensão.

Entre os idosos, no entanto, a associação entre barulho e pressão arterial foi menos importante. A justificativa dos pesquisadores é que, nessa faixa etária, é mais difíciI medir a influência do barulho na pressão, uma vez que há outros fatores que contribuem para a doença.

Um outro estudo realizado em Londres e divulgado em fevereiro deste ano também associou barulho intenso e hipertensão. O trabalho avaliou 5.000 pessoas e constatou que viver próximo a aeroportos também pode estar relacionado com o aumento da pressão arterial.

Concluiu-se que um aumento de 10 db no ruído noturno elevava em 14% o risco de hipertensão.

Ainda assim, o barulho intenso não é considerado por especialistas um fator de risco clássico para hipertensão. Os principais desencadeantes da pressão alta são obesidade, ingestão elevada de sal, abuso no consumo de álcool e sedentarismo.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus