Cabeça boa: como age o cerebro dos otimistas


Estudo Revela que o cérebro dos otimistas rejeita pensamentos negativos.

Revista Galileu - por Sandra Damiani

Pesquisadores da University Colle­ge de Londres descobriram que o cérebro das pessoas sempre positi­vas dá preferência a tudo que refor­ça uma bela perspectiva do futuro. Em um experimento, os cientistas pediram a voluntários que apontas­sem a probabilidade de acontecer 80 diferentes situações negativas em suas vidas, como separação e doença grave, enquanto passavam por uma ressonância magnética.

Os cientistas observaram que as pessoas otimistas tinham uma ati­vidade maior no lobo frontal (res­ponsável por nossa capacidade de planejamento e estimativas) ao pro­cessarem notícias positivas. Diante das negativas, tiveram menor ativi­dade nesta parte do cérebro, suge­rindo que o órgão estaria escolhen­do qual evidência levar em conta. O estudo dá pistas do que leva al­gumas pessoas a manter uma pre­visão cor-de-rosa mesmo quando a realidade reforça o inverso. É como acreditar que seu time vai ganhar no próximo jogo mesmo depois de sucessivos fiascos. "O lado ruim de ser sempre positivo é subestimar riscos", diz Tali Sharot. uma das au­toras do estudo. Isso explicaria por que campanhas como as de com­bate ao fumo ou à Aids são, por ve­zes, ineficazes, alerta a neurocien­tista.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus