Café não aumenta chance de doenças crônicas


Jornal Folha de São Paulo

DA REUTERS - Os viciados em café podem respirar mais tran­quilos: não parece haver mais risco de desenvolver doenças crônicas graças ao consumo da bebida, conclui um estudo na revista médica "American Joumal of Clinical Nutrition". A pesquisa, coordenada por Anna Floegel, do Instituo Ale­mão de Nutrição Humana, ava­liou mais de 42 mil alemães ao longo de nove anos.

Os cientistas compararam bebedores de café com os que não tomam a bebida, procu­rando evidências da incidên­cia aumentada de problemas como câncer, doenças cardio­vasculares e diabetes tipo 2.

A probabilidade de quem aprecia café ter câncer e males do coração é idêntica à de pessoas que rejeitam a cafeí­na. E, no caso da diabetes ti­po 2, parece haver até um efei­to protetor do café, diminuindo em cerca de um quarto a chan­ce de ter a doença.

Os cientistas consideram que certas substâncias da be­bida podem ter uma influência benéfica sobre o metabolismo.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus