Cérebro de idoso bilíngues tem melhor desempenho


Revista Scientifica American

Ser fluente em dois idiomas ajuda a conservar a agilidade mental. É o que mostra uma pesquisa com idosos bilíngues publicada no The Journal of Neuroscience - eles resolveram testes cognitivos mais rapidamente do que aqueles que falavam apenas a língua nativa. Pesquisadores da Universidade de Kentucky registraram imagens do cérebro de mais de 100 idosos e adul­tos jovens enquanto faziam um exercí­cio simples, que consistia em determi­nar a cor e a forma de figuras geométri­cas mostradas pelos cientistas.

Metade dos voluntários se comu­nicava apenas em inglês; o restante dominava mais uma língua, como o espanhol ou o chinês, desde criança. Segundo os autores, adultos jovens bilíngues e monolínguestiveram de­sempenho cognitivo semelhante. En­tre os idosos, porém, os que falavam um só idioma demoraram mais para executar a tarefa. A hipótese é que a fluência em duas línguas está relacio­nada à maior flexibilidade cognitiva - isto é, habilidade de processar novas informações e se adaptar a mudanças -, associada ao córtex frontal. As neu­roimagens, inclusive, sugerem menor gasto de energia nessa área.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus