Chefe ruim também é bom


Revista Época Negócios

Algumas valiosas lições de carreira você só aprende quando sofre nas mãos de um deles.

O chefe é a pessoa mais importante na sua relação com a empresa. Para começar, porque ele tem o poder de demitir ou promover, dar tarefas enfadonhas ou desafios estimulantes, ajudar no seu sucesso ou criar obstáculos para o seu crescimento. Isso não quer dizer, porém, que ter um chefe bacana seja uma condiçãe imprescindível para a sua evolução profissional. Às vezes, um chefe ruim é até melhor que um bom. "Um chefe ruim pode ser um excelente professor", diz Claudio Garcia, presidente da LHH/DBM para a América Latina. "Ele tira as pessoas da zona de conforto e as faz lidar com o diferente" A seguir, alguns aprendizados que um mau chefe pode proporcionar.

Encarar seus pontos fracos

Um líder que aponta suas falhas de maneira direta e até grosseira obriga você encarar seus pontos negativos. "O de um chefe ruim é destacar o pior das pessoas", afirma Fátima Rossetto. diretora de desenvolvimento de talentos da LHH/DBM. "Ele faz com que os subordinados lidem constantemente com o que lhes falta, com seus limites. Esta é uma oportunidade não só para melhorar o que não está bom no trabalho, mas també para reconhecer e mudar os seus próprios ângulos obscuros.

Ser um bom líder

Um chefe competitivo, maldoso, com dificuldade de agregar um time ou se equilíbrio emocional tende a desenvolver um grupo desmotivado e segregado. " O mal-estar fica claro para todos", afirma Maria Beatriz Henning, sócia da Exceed Executive Search. "Perceber o que certas atitudes causam nos outros é uma dica para quem pretende ser líder um dia." Se o profissional já tem uma equipe própria, é produtivo observar a repercussão do comportamento de seu chefe nos colegas. "Seus subordinados podem comentar o mesmo sobre você. É um indicador", diz Fátima Rossetto, da LHH/DBM.

Ser proativo 

O gestor que não facilita a vida dos profissionais - e às vezes até dificulta - exige que eles saiam da zona de conforto. "É na dificuldade que a pessoa cresce", diz Fátima. "Quem aprende a trabalhar com pouco recurso, sem apoio, começa a se virar."

Tolerar o diferente

"Quem convive com um chefe ruim fica mais preparado para a diversidade da vida", afirma Garcia, da LHH/DBM. Em alguns casos, diz ele, o que o profissional vê como negativo no chefe é apenas uma característica diferente da sua. "Uma pessoa pragmática demais pode achar que o chefe é ruim só porque é mais reflexivo que ele."

Aumentar a autoconfiança

Não precisar de elogios para saber-se competente pode economizar frustrações e sofrimentos. "Com um chefe que só critica e nunca diz o que está bom, você pode descobrir sua força", afirma Fátima.
"Você aprende a se satisfazer pessoalmente com o que fez, independentemente de ser elogiado ou criticado. É importante absorver sempre o que há de construtivo em uma opinião alheia, mas sem tomá-Ia como verdade absoluta."

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus