Comida e o cérebro


O consumo excessivo de alguns alimentos pode afetar as funções cerebrais.

Jornal Folha de São Paulo - por Geraldo Possendoro

• Gordura Trans

Aumenta a produção de substâncias oxidantes por até 3 horas após a refeição; estas substâncias ativam genes que levam a produções de substâncias pró-inflamatórias, como a IL 6 (interleucina 6). O aumento de IL 6 é observado em quadros depressivos.

• Cereal Refinado

Cria desequilíbrios na flora intestinal, reduzindo a quantidade de bactérias "boas", que combatem infecções; o aumento das bactérias maléficas sinaliza inflamação, estimulando a produção de substâncias que alteram o equilíbrio hormonal e neurológico.

• Gordura Saturada

Pode causar obstrução das artérias, reduzindo o fluxo sanguíneo para o cérebro e afetando o seu funcionamento; também ativa produção de substâncias pró-inflamatórias.

• Corantes, conservantes e edulcorantes

Aumentam a produção de substâncias oxidantes por pelo menos 3 horas após a refeição; o cérebro "entende" essas substâncias como tóxicas e aciona o seu sistema de defesa, aumentando a produção de substâncias relacionadas aos processos inflamatórios.

• Açúcar

Oferta por curto período de energia em alta concentração causa oscilações bruscas na bioquímica cerebral e no humor; aumenta a produção de substâncias oxidantes por cerca de 2 horas após a refeição.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus