Desejo por gordura é muito mais que sentimento


É simplesmente a falta de força de vontade que torna os alimentos gordurosos irresistíveis ou há for­ças mais profundas em jogo?

Jornal Folha de São Paulo - por Tara Parker-Pope

Novas pesquisas intrigantes sugerem a última hipótese. Cien­tistas da Califórnia e da Itália relataram em julho que ratos que receberam alimentos gordurosos imediatamente começaram a liberar no trato digestivo substâncias naturais semelhantes às produzi­das pela maconha, o que os fazia desejar mais.

Estudos recentes acrescentam nova complexidade ao debate so­bre a obesidade, sugerindo que alguns alimentos provocam pode­rosas reações químicas no corpo e no cérebro. Ainda é verdade que as pessoas engordam porque comem mais calorias do que queimam. Mas essas compulsões podem de­rivar de sistemas biológicos sobre os quais elas não têm controle. O objetivo das pesquisas com ratos feitas por uma equipe da Universidade da Califórnia em Irvine e pelo Instituto Italiano de Tecnologia em Gênova era medir como o sabor afeta a reação do corpo ao alimento. Entre ratos que receberam dietas líquidas com alto teor de gordura, açúcar ou proteína, os que receberam o líquido gorduroso tinham reação notável: assim que ele atingia su­as papilas gustativas, os sistemas digestivos começavam a produzir endocanabinoides, substâncias químicas semelhantes às produ­zidas quando se usa maconha.

As substâncias servem a diversas funções, incluindo a regulação do humor e a resposta ao estresse, apetite e passagem dos alimentos pelos intestinos. Elas só foram liberadas quando os ratos sabo­reavam gordura, não açúcar ou proteína. As conclusões foram publicadas emjulho em "The Pro­ceedings of the National Academy of Sciences". "A coisa mais surpreendente para a maioria das pessoas, inclu­sive eu", disse uma autora do estu­do, Danielle Piomelli, diretora de descoberta e desenvolvimento de drogas na Universidade da Cali­fórnia em Irvine, "é que as conclu­sões oferecem uma janela sobre como nos relacionamos com os alimentos gordurosos."

A descoberta oferece esperan­ça para novas drogas para dietas. Nos estudos com ratos, pesquisa­dores injetaram uma droga que bloqueia os endocanabinoides no intestino dos ratos e descobriram que eles perdiam o interesse pelo alimento gorduroso. "O efeito é notável", disse a doutora Piomelli. "Eles não se interessam mais por comer. Param completamente." As conclusões oferecem conse­lhos práticos sobre as poderosas forças biológicas que atuam com alimentos gordurosos. "Nós pensamos que comemos porque gostamos, mas não é só porque gostamos, mas porque queremos", disse o doutor David Kessler, ex-diretor da Adminis­tração de Alimentos e Drogas dos EUA (DeA) e autor do livro "The End of Overeating" (o fim dos ex-cessos alimentares).

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus