Dienta Pode Evitar 19% dos Cânceres


A prática de atividades físicas e uma alimentação saudável são os principais fatores de proteção. Levantamento divulgado pelo lnca faz projeções especificas para o Brasil; estima-se o surglmento de 375.420 casos em 2010.

Jornal Folha de São Paulo - por Fernanda Bassette

Combinar alimentação saudável, controle de peso e prática de atividade física é capaz de prevenir 19% dos casos de câncer no país, aponta o relatório "Políticas e Ações para a Prevenção do Câncer no Brasil, Alimentação, Nutrição e Atividade Física" divulgado ontem pelo Inca (Instituto Nacional de Câncer) em parceria com o Fundo Mundial de Pesquisa Contra o Câncer.

De acordo com o levanta­mento, que faz projeções espe­cíficas para o Brasil, a união desses fatores poderia evitar 63% dos casos de câncer de bo­ca, faringe e laringe; 60% dos tumores de esôfago, 52% dos casos que atingem o endomé­trio; 41% dos cânceres de estô­mago; 34% de pâncreas e 37% dos casos de câncer colorretal. O Inca estima o surgirnento de 375.420 casos novos de todos os tipos de câncer em 2010.

"Este é primeiro levanta­mento que traz dados específi­cos para o Brasil relacionando incidência dos tumores com fa­tores de risco. Traz também um conjunto de ações que, juntas, têm um grande potencial de proteção contra o câncer", afirma Cláudio Noronha, coordenador da Divisão de Prevenção e Vigilância do Inca.

"Os resultados são uma surpresa, pois já se sabia que a obesidade aumenta o risco de desenvolvimento de uma série de tumores, especialmente os de fígado, pâncreas e endomé­trio. A importância disso é a compilação desses dados e a conscientização das pessoas", avalia o endocrinologista bruno Geloneze, coordenador do Laboratório de Investigação de Metabolismo e Diabetes da Unicamp (Universidade Esta­dual de Campinas).

Segundo dados do relatório, o controle do peso, a prática de atividade física constante, também seria eficaz no controle do câncer, podendo evitar 13% dos casos.

Para a nutricionista Luciene Assaf de Matos, do Hospital A.C. Camargo, no entanto, aliar uma boa alimentação à prática de exercícios físicos é funda­mental. "A alimentação não trabalha sozinha. A pessoa po­de até ter o peso adequado, mas o estilo de vida sedentário ao longo dos anos não é saudável."

• Medidas

De acordo com Noronha, a publicação também chama a atenção para medidas simples de serem aplicadas no dia a dia da população para tentar man­ter hábitos saudáveis. "Cerca de 10% dos cânceres são deter­minados por fatores hereditá­rios. Os outros 90% dos casos são decorrentes do padrão de vida que a pessoa leva, incluiu­ do exposição a infecções, agen­tes tóxicos, padrão de alimentação, entre outras coisas que podem ser evitadas."

• Custo para o SUS

De acordo com o Inca, o SUS (Sistema Unico de Saúde) re­gistra cerca de 546 mil interna­ções por câncer anualmente - estima-se que são 259 mil in­ternações na saúde suplemen­tar. Cada internação no SUS custa, em média, R$ 1.446,34 para os cofres públicos.

Unindo alimentacão saudá­vel, atividade física e peso ade­quado, o Inca estima que have­ria uma economia de R$ 84 milhões, em 2010, nos gastos com tumores de boca, laringe, esôfago, pulmão, estô­mago, colorretal e mama.

"O Brasil, de modo geral, ain­da gasta muito com o trata­mento do câncer por falta de uma política adequada de pre­venção. Vivemos em um país cercado pelo mar e, mesmo as­sim, o consumo de peixe é bai­xíssimo, pois é muito caro para a maioria da população. E o pei­xe é infinitamente mais saudá­vel do que a carne vermelha", diz a nutricionista Matos.

Segundo Noronha, os dados servirão de base para a elabora­ção de políticas de saúde públi­ca e uma das prioridades serão as escolas. "A ideia é fazer a proteção primária, para evitar que a pessoa adoeça. Por isso, por exemplo, vamos recomen­dar que as escolas proíbam a venda de alimentos industriali­zados nas cantinas e restrinjam as máquinas de venda de comi­da e bebida prontas", diz.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus