Ficar sentado torna a vida mais curta


Passar 6 horas diárias nessa posição aumenta em 37% o risco de morte - mesmo se você for saudável e praticar exercícios.

Revista Superinteressante - por Bruno Garattoni

Sedentarismo faz mal à saúde. Disso todo mundo sabe. O que ninguém ima­ginava, e um novo estudo acaba de re­velar, é que ficar 6 horas diárias sentado pode provocar efeitos permanentes. No caso, elevar o risco de morte: que fica 18% maior para os homens e 37% maior para as mulheres. "Passar muito tempo sentado, independentemente do nível de atividade física [do indivíduo], pro­voca consequências metabólicas impor­tantes", dizem os autores do estudo, que foi realizado pela Sociedade Americana do Câncer e acompanhou 123 mil ho­mens e mulheres ao longo de 13 anos. O pior é que esse risco aumenta mesmo se a pessoa estiver em forma e praticar exercícios regularmente. Motivo: depois de algu­mas horas sem caminhar, o organismo interrompe a produção da lipase, enzima que os músculos usam
para queimar gordura. Essa gordura fica circulando no corpo, onde eleva os níveis de triglicérides e mau colesterol (LDL), aumentando o risco de do­enças cardiovasculares.

Em testes feitos com ratos, a lipase caiu drama­ticamente após 4 horas de inatividade - e só voltou ao normal depois de 4 horas de caminhada. Como o metabolismo dos ratos é diferente do humano, esses números não podem ser transpostos direta­mente. Mas a conclusão é clara. Não adianta ir à academia de manhã ou à noite e ficar todo o resto do tempo sentado. É importante se mexer durante todo o dia. Boa desculpa para se levantar da mesa e ir bater papo com os colegas no café.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus