Idosos que se Exercitam Vivem Mais


Jornal Folha de São Paulo

 Indivíduos com mais de 70 anos ativos ou que começam a praticar atividade física vivem mais e têm menos risco de desenvolver incapacidade física. Isso é o que mostra uma pesquisa da Hebrew University, em Jerusalém, que acompanhou 1.861 voluntários aos 70, 78 e aos 85 anos.

Aqueles que praticavam menos de quatro horas semanais de exercício foram considerados sedentários. Os demais praticavam atividades vigorosas, como natação ou jogging, ou faziam atividade moderada de forma regular (por exemplo, uma hora de caminhada por dia).

Comparados aos sedentários, os ativos tiveram um risco 12% menor de morrer entre os 70 e os 78 anos, 15% menor entre os 78 e os 85 anos e 17% menor entre os 85 e os 88 anos de idade. Eles também permaneceram independentes por mais tempo e conservaram a habilidade para realizar as tarefas diárias. Além disso, relataram que se sentiam menos sozinhos.

O benefício foi observado não só nos indivíduos que sempre foram ativos mas também naqueles que começaram a se exercitar entre os 70 e os 85 anos de idade.

No artigo, publicado no "Jama", os autores ressaltam o efeito protetor dos exercícios contra o declínio funcional, principalmente por melhorar a saúde cardiovascular, diminuir a perda de massa muscular e estimular a imunidade.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus