Imaginar os alimentos diminui vontade de comer


Pensar em comida por vários minutos tem o poder de saciar o cérebro. Senso comum diz que imaginar alimentos só aumenta a fome, mas pesquisadores dizem que isso não é verdade.

Jornal Folha de São Paulo - por Giulina Miranda

Pensar emagrece. Ou, pelo menos, ajuda você a comer menos, de acordo com uma pesquisa da Universidade Carnegie Mellon, nos EUA. Os cientistas descobriram que, quando alguém se ima­gina comendo grandes quan­tidades de um alimento antes de efetivamente consumi-lo, acaba reduzindo drastica­mente as porções.

Para os pesquisadores, is­so acontece devido a um fe­nômeno conhecido como ha­bituação. Nele, quando al­guém é exposto a um estímulo repetidamente ou durante longos períodos, há menos respostas fisiológicas e com­portamentais.

É esse o fenômeno que explica, por exemplo, por que não achamos o décimo peda­ço de chocolate tão gostoso quanto o primeiro.

Segundo o estudo, publi­cado na "Science", o simples fato de pensar nos alimentos já é suficiente.

Nos testes, os participan­tes que tiveram redução de apetite mentalizaram comer ao menos 30 unidades de confeitos de chocolate ou de pedacinhos de queijo. Esse resultado contraria o que muitos cientistas acredi­tavam: que imaginar a comi­da aumenta o apetite.

Para os autores, a diferen­ça tem razões metodológicas. Na maioria dos outros estu­dos, dizem, o tempo que os participantes imaginavam a comida era curto demais para "acostumar" o organismo.

Os autores do trabalho di­zem que a descoberta pode ajudar a desenvolver trata­mentos para compulsão ali­mentar e até para dependên­cia química.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus