Meio Cheio ou Meio Vazio


Revista Scientific American

Normalmente as pessoas se mostram divididas em relação à percepção de aconteceimentos bons ou ruins. Uma variação genética comum pode estar por trás dessas tendências para o otimismo ou pessimismo. Cientistas da University of Essex, na Inglaterra, investigaram a serotonina, um neurotransmissor ligado ao humor, e estudaram a preferência de 97 voluntários relativamente a diferentes tipos de imagens. Pessoas que tinham apenas a versão longa do gene para a proteína  transportadora de serotonina - que controla os níveis do neurotransmissor nas células do cérebro - tendiam a prestar atenção em figuras agradáveis (como imagens de chocolates), enquanto evitavam as negativas (como fotografias de aranhas). As pessoas que tinham forma curta do gene apresentaram preferências opostas, embora não tão fortemente. Os resultados, publicados na edição de 25 de fevereiro da Proceedings of the Royal Society B, ajudam a explicar por que  algumas pessoas ão menos suscetíveis à ansiedade e depressão. Além disso, esses resultados podem levar a terapias que ajudem algumas pessoas a ver o lado bom das coisas.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus