Memória: efeito Google no cérebro


Revista Scienteific American

A internet mudou a forma como armazenamos informações - é o que sugere artigo publicado na revis­ta Science. Segundo a psicóloga Betsy Sparrow, autora do texto, o cérebro reconhece a rede como uma espécie de memória externa e, para econo­mizar energia - algo que temos feito durante toda a evolução -, delega à web a tarefa de lembrar-se das coisas.

Betsy, que é professora da Uni­versidade Colúmbia, relata quatro ex­perimentos, cujos voluntários foram alunos da instituição. Em um deles, por exemplo, pediu que lessem no­tícias de diferentes conteúdos antes de realizar um teste de memória.

Ela disse para alguns deles que seria permitido checar os dados na inter­net e, para outros, que isso não seria possível. A psicóloga observou que o primeiro grupo teve menor índice de retenção de informações. "Parece que saber onde encontrar detalhes sobre um acontecimento elimina a necessidade de armazená-Ios, como se o cérebro se adaptasse às circuns­tâncias atuais", conclui.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus