Produtividade e neurônios-espelho


Em certas atividades, o trabalho solitário parece render mais que o coletivo. Um exemplo disso: quando as pessoas executam diferentes tarefas e uma pode ver o que a outra está fazendo, explicam pesquisadores da Universidade Calgary, Canadá, autores de um estudo publicado no Journal of Human Movement Science.

O experimento foi feito com voluntários que tinham de realizar tarefas no computador em duas situações: sozinhos e com um parceiro ao lado, que executava uma ação relacionada. O desempenho foi significativamente melhor quando os indivíduos trabalharam desacompanhados.

Segundo os cientistas, o fato de ver o colega em outra tarefa ativa o sistema de neurônios-espelho, o que nos impele à imitação. Lutar contra essa tendência natural diminui a velocidade e a precisão com que a tarefa é executada. Os autores não fazem apologia do trabalho solitário, mas recomendam que escritórios e indústrias melhorem sua produtividade caso haja barreiras visuais entre funcionários fisicamente próximos cujas tarefas, porém, sejam distintas.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus