Risco cardíaco é 60% maior para quem trabalha em Excesso


O problema não é a carga horária, e sim o estresse, o sedentarismo e os maus hábitos.

Jornal Folha de São Paulo - por Guilherme Genestreti

Quem trabalha de três a quatro horas a mais do que as oito regulamentares aumenta em 60% as chances de de desenvolver doenças coronárias, em relação aos que batem o cartão na hora certa.

Esses profissionais estariam mais suscetíveis a sofrer de obstrução das artérias coronárias, desencadeando angina (dor no peito devido ao entupimento) e até infarto.

Os dados são de uma pesquisa publicada no “European Heart Journal”, que seguiu 6.000 britânicos de meia-idade por 11 anos.

Segundo Luiz Antonio Machado Cesar, presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, o que está por trás do resultado não é o trabalho em si, mas os fatores de risco que cercam quem trabalha demais.

“Essas pessoas são mais estressadas e têm menos tempo para praticar atividades fisicas, se alimentar melhor e dormir melhor.”

O cardiologista Hélio Castello, do hospital Bandeirantes, comenta: “A pressão arterial de quem trabalha demais tende a ser mais elevada, já que a pressão é maior em situações de alerta”.

• Prevenção

Se não dá para reduzir as horas de trabalho, Roberto Kalil Filho, diretor do centro de cardiologia do Hospital Sírio-Libanês, recomenda uma dieta balanceada, uma hora diária de exercícios e exames periódicos.

“Há sempre um vácuo no dia em que as pessoas fazem coisas supérfluas e que poderia ser ocupado com exercícios”, afirma. “O trabalho não mata ninguém. O que mata é não se cuidar.”

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus