Sonolência criativa


Mentes cansadas também produzem boas soluções.


Revista Época Negócios.

Todo mundo sabe, ou suspeita, que em certos momentos do dia a cabeça funciona melhor. Isso vai de cada um, e basicamente tem a ver com o padrão do corpo ao começar e parar de produzir melatonina, o hormônio do sono. De acordo com a percepção do próprio "cronótipo" (no vocabulário especializado), as pessoas escolhem, se possível, seus melhores horários para encarar as tarefas mais difíceis.

Mas há tarefas que desempenhamos melhor quando estamos um pouco "bêbados" de sono. É o que mostra um experimento realizado na Universidade de Albion (Michigan, EUA) com mais de 400 voluntários, confirmando indícios de pesquisas anteriores. Depois de classificados segundo seus cronótipos, o que foi feito por meio de questionários sobre os hábitos de cada um, os participantes receberam dois tipos de problemas para resolver. Um dependia exclusivamente de raciocínio matemático (analítico), outro era do tipo que requer uma espécie de clique do cérebro para achar a solução.

O horário do dia não influiu na resolução do problema matemático. Mas na outra questão se deram melhor aqueles que estavam no período do dia em que se sentem menos despertos. A explicação seria que, ao pensar analiticamente, o estado de alerta afasta opções mentais não relacionadas diretamente com a questão. Mas quando estamos cansados, as inibições se reduzem e os pensamentos correm a esmo, favorecendo o surgimento de insights. A psicóloga Mareike Wieth, que conduziu o estudo, recomenda que as tarefas imediatas, formais, sejam encaradas no horário em que a mente está mais focada, mas diz que vale experimentar um estado de alguma dispersão para se aventurar em tarefas criativas.

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus