Trabalho criativo causa mais estresse


Folha de São Paulo

Criar comerciais de televisão envolve mais criatividade do que apertar botões em uma fábria. Ter um trabalho que exige criatividade costuma ser mais prazeroso, diz o senso comum. Mas os estudos de dois pesquisadores no Canadá mostraram como o trabalho criativo causa mais estresse.

O trabalhador criativo tem mais risco de sofrer pressão excessiva e de se sentir sobrecarregado. Ele também recebe com mais frequência comunicação ligada a trabalho - e-mails, mensagens de texto, telefonemas - fora do expediente, concluíram Scott Scheiman e Marisa Young, do Departamento de Sociologia da Universidade de Toronto. O estudo foi feito com base em uma extensa pesquisa dos hábitos de trabalho dos americanos.

Custo alto

"É a ideia do "estresse do status mais alto" que tenho desenvolvido em Minha pesquisa", diz Schieman. A teoria sugere que há custos escondidos para as ocupações de maior status. "Embora as condições de trabalho sejam altamente desejáveis e frequentemente preferidas, elas às vezes impõem demandas que minam ou desafiam os próprios recursos que proveem", afirma o pesquisador.

Esses custos poderiam ser definidos como estresse, diz ele. "Minha própria pesquisa indica que o trabalho criativo não se encaixa facilmente em uma agenda de uma semana de trabalho típica. Esse tipo de trabalho é bagunçado, toma tempo e não segue uma rotina das 8h às 17h", diz Shelley H. Carson, da Universidade Harvard, comentando as conclusões da dupla de Toronto.

"Isso pode colocar pressão na pessoa de quem se espera uma produção criativa de acordo com prazos", diz o pesquisdor de Harvard. Sobra também para a família: as linhas de fronteira entre trabalho, vida pessoal e diversão acabam indefinidas. 

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados à Methodus